terça-feira, 30 de agosto de 2011

EU SEI MAS NÃO DEVIA

Eu sei que a gente se acostuma.

Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor.

E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora.

E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas.

E porque não abre as cortinas logo se acostuma a acender cedo a luz.
E a medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora.

A tomar o café correndo porque está atrasado.

A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem.

A comer sanduíche porque não dá para almoçar.
A sair do trabalho porque já é noite.
A cochilar no ônibus porque está cansado.
A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita.
E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar.
E a pagar mais do que as coisas valem.
E a saber que cada vez pagará mais.
E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma à poluição.
Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro.
À luz artificial de ligeiro tremor.
Ao choque que os olhos levam na luz natural.
Às bactérias de água potável.
A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer.

Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá.

Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do  corpo.

Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço.

Se o trabalho está duro a gente se consola pensando no fim de semana.

E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele.

Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para poupar o peito.

A gente se acostuma para poupar a vida.

Que aos poucos se gasta, e que gasta de tanto se acostumar, e se perde de si mesma

 

10 reflequições

- Todo mundo viaja. Poucos chegam Lá.

II- As guerras acabam. Mas as ruas nunca ficam prontas.

III- Tinha um ar soberbo. Totalmente poluído.

IV- Dizia "Minha cara metade", como quem reclama do preço.

V- Confesso: sou pior sozinho do que mal acompanhado.

VI- Repara: quando você aprende uma palavra nova, ela aparece em todos os lugares.

VII- Solitário dorme sozinho. Rejeitado acorda sozinho.

VIII- Mostrei-lhe a lua no horizonte, redonda, linda. Mas ela prefere o Faustão.

IX- Não há pessoa mais chata do que você mesmo. Fuja da solidão.

X- Fica frio, amigo, não foi o brasileiro o inventor da corrupção. Baseado no mais profundo ensinamento da minha religião, a corrupção começou no Princípio dos Princípios, justamente no Jardim do Éden. Quando os dois proto-Safados, corrompidos pela Serpente, desrespeitaram a Lei do Senhor e comeram o Fruto da Ciência do Bem e do Mal, o desrespeito espantoso ficou conhecido como A Queda. Mas não passou assim pelo Todo (como era conhecido o Todo-Poderoso), que condenou os três culpados por uso indevido de bem público e formação de quadrilha. Logo o Anjo Gabriel, executor das ordens do Supremo, expulsou Adão e Eva do Paraíso, obrigando-os a viver na periferia, a leste do Éden. Mas a Serpente, misteriosamente, nunca foi punida


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

ORIGEM FEMININA

Existem várias lendas sobre a origem da Mulher.
Uma diz que Deus pôs o primeiro homem a dormir, inaugurando assim a anestesia geral, tirou uma de suas costelas e com ela fez a primeira mulher.
E que a primeira provação de Eva foi cuidar de Adão e agüentar o seu mau humor, enquanto ele convalescia da operação.
Uma variante desta lenda diz que Deus, com seu prazo para a Criação estourado, fez o homem às pressas, pensando “Depois eu melhoro”, e mais tarde, com tempo, fez um homem mais bem-acabado, que chamou Mulher, que é “melhor” em aramaico.
Outra lenda diz que Deus fez a mulher primeiro, e caprichou nas suas formas, e aparou aqui e tirou dali, e com o que sobrou fez o homem só para não jogar barro fora.
Zeus teria arrancado a mulher de sua própria cabeça.
Alguns povos nórdicos cultivam o mito da Grande Ursa Olga, origem de todas as mulheres do mundo, o que explica o fato das mulheres se enrolarem periodicamente em pêlos de  animais, cedendo a um incontrolável impulso atávico, nem que seja só para experimentar, na loja, e depois quase desmaiar com o preço.
Em certas tribos nômades do Meio Oriente ainda se acredita que a mulher foi, originariamente, um camelo, que na ânsia de servir seu mestre de todas as maneiras foi se transformando até adquirir sua forma atual.
No Extremo Oriente existe a lenda de que as mulheres caem do céu, já de kimono.
E em certas partes do Ocidente persiste a crença de que mulher se compra através dos classificados, podendo-se escolher idade, cor da pele e tipo de massagem.
Todas estas lendas, claro, têm pouco a ver com a verdade científica. Hoje se sabe que o Homem é o produto de um processo evolutivo que começou com a primeira ameba a sair do mar primevo, e é o descendente direto de uma linha específica de primatas, tendo passado por várias fases até atingir o seu estágio atual e aí encontrar a Mulher, que ninguém ainda sabe de onde veio.
É certamente ridículo pensar que as mulheres também descendem de macacos. A minha mãe, não!
Uma das teses mais aceitáveis sobre o papel da mulher na evolução do homem é a de que o primeiro encontro entre os dois se deu no período paleolítico, quando um homo-sapiens mas não muito, chamado, possivelmente, Ugh, saiu para caçar e avistou, sentado numa pedra, penteando os cabelos, um ser que lhe provocou o seguinte pensamento, em  linguagem de hoje:
”Isso é que é mulher e não aquilo que tenho na caverna”.
Ugh aproximou-se da mulher e, naquele seu jeitão, deu a entender que queria procriar com ela.
”Agh maakgrom grom”, ou coisa parecida. A mulher olhou-o de cima a baixo e desatou a rir.
É preciso lembrar que Ugh, embora fosse até bem apessoado pelos padrões da época, era pouco mais do que um animal aos olhos da mulher. Tinha a testa estreita e as mandíbulas pronunciadas e usava gordura de mamute nos cabelos.
A mulher disse alguma coisa como “Você não se enxerga, não?” e afastou-se, enojada, deixando Ugh desolado. Antes dela desaparecer por completo, Ugh ainda gritou: “Espera uns 10 mil anos pra você ver!”, e de volta à caverna exortou seus companheiros a  aprimorarem o processo evolutivo.
Desde então, o objetivo da evolução do homem foi o de proporcionar um par à altura para a mulher, para que, vendo o casal, ninguém dissesse que ela só saía com ele pelo dinheiro, ou para espantar assaltantes.
Se não fosse por aquele encontro fortuito em alguma planície do mundo primitivo, o homem ainda seria o mesmo troglodita desleixado e sem ambição, interessado apenas em caçar e catar seus piolhos, e um fracasso social.
Mas de onde veio a primeira mulher, já que podemos descartar tanto a evolução quanto as fantasias religiosas e mitológicas sobre a criação?
Inclino-me para a tese da origem extraterrena. A mulher viria (isto é pura especulação, claro) de outro planeta.
Venho observando-as durante anos - inclusive casei com uma, para poder estudá-las mais de perto - e julgo ter colecionado provas irrefutáveis de que elas não são deste mundo. Observei que elas não têm os mesmos instintos que nós, e volta e meia são surpreendidas em devaneio, como que captando ordens de outra galáxia, embora disfarcem e digam que só estavam pensando no jantar. Têm uma lógica completamente diferente da nossa. Ultimamente têm tentado dissimular sua peculiaridade, assumindo atitudes masculinas e
fazendo coisas - como dirigir grandes empresas e xingar a mãe do motorista ao lado - impensáveis há alguns anos, o que só aumenta a suspeita de que se trata de uma estratégia para camuflar nossas diferenças, que estavam começando a dar na vista.
Quando comentamos o fato, nos acusam de ser machistas, presos a preconceitos e incapazes de reconhecer seus direitos, ou então roçam a nossa nuca com o nariz, dizendo coisas como “ioink, ioink” que nos deixam arrepiados e sem argumentos.
Claramente combinaram isto. Estão sempre combinando maneiras novas de impedir que se descubra que são alienígenas e têm desígnios próprios para a nossa terra.
É o que fazem, quando vão, todas juntas, ao banheiro, sabendo que não podemos ir atrás para ouvir.
Muitas vezes, mesmo na nossa presença, falam uma linguagem incompreensível que só elas entendem, obviamente um código para transmitir instruções do Planeta Mãe.
E têm seus golpes baixos. Seus truques covardes. Seus olhos laser, claros ou profundamente escuros, suas bocas.
Meu Deus, algumas até sardas no nariz. Seus seios, aqueles mísseis inteligentes. Aquela curva suave da coxa, quando está chegando no quadril, e a Convenção de Genebra não vê isso!
E as armas químicas - perfumes, loções, cremes. São de uma civilização superior, o que podem nossos tacapes contra os seus exércitos de encantos?
Breve dominarão o mundo. Breve saberemos o que elas querem. Se depois de sair este artigo, eu for encontrado morto com sinais de ter sido carinhosamente asfixiado, como um sorriso, minha tese está certa. Se nada me acontecer, sinal de que a tese está certa, mas elas não temem mais o desmascaramento.
O que elas querem, afinal?
Se a mulher realmente veio ao mundo para inspirar o homem a melhorar e ser digno dela, pode ter chegado à conclusão de que falhou, que este velho guerreiro nunca tomará jeito. Continuaremos a ser mulheres com defeito, uma experiência menor num planeta inferior. O que sugere a possibilidade de que, assim como veio, a mulher está pronta a partir, desiludida conosco.
E se for isso que elas conspiram nos banheiros? A retirada? Seríamos abandonados à nossa própria estupidez. Elas levariam as suas filhas e nos deixariam com caras de Ugh.
Posso ver o fim da nossa espécie. Nossos melhores cientistas abandonando tudo e se dedicando a intermináveis testes com a costela, depois de desistir da mulher sintética. Tentando recriar a mágica da criação.
Uma mulher, qualquer mulher, de qualquer jeito! Prometemos que desta vez não as decepcionaremos! Uma mulher! Como é que se faz uma mulher?


ALGUMAS DAS MELHORES COISAS DA VIDA

  "Se apaixonar.
Rir até sentir o rosto doer.
Um banho quente.
Um supermercado sem filas.
Um olhar especial.
Receber cartas.
Dirigir numa estrada bonita.
Escutar sua música preferida no rádio.
Um banho de espuma.
Uma boa conversa.
A praia.
Achar uma nota de R$50,00 na sua blusa do inverno passado.
Rir de você mesmo.
Rir sem absolutamente razão nenhuma.
Ter alguém pra te dizer que você que é bonito (a).
Rir por alguma coisa que você lembrou.
Os amigos.
Ouvir acidentalmente alguém falar bem de você.
Acordar e perceber que ainda faltam algumas horas para dormir.
Fazer novos amigos ou ficar junto dos velhos.
Conversas à noite com seu colega de quarto que não te deixa dormir.
Alguém brincar com o seu cabelo.
Bons sonhos.
Viagens com os amigos.
Dançar.
Beijar na boca.
Ir à um bom show.
Ter calafrios ao ver aquela pessoa.
Ganhar um jogo difícil.
Passar o tempo com os amigos.
Ver os amigos sorrir ou rir.
Segurar as mãos de um amigo.
Encontrar com um velho amigo e descobrir que têm coisas que nunca mudam.
Descobrir que o amor é eterno e incondicional.
Abraçar a pessoa que você ama.
Ver a expressão de alguém que ganhou um presente que queria muito de você.
Ver o nascer do sol.
Levantar todo dia e agradecer a Deus por outro lindo dia.
Sorriam e aproveitem as coisas boas da vida !!! "


ACREDITE!

Você precisa ter sonhos, para que possa se levantar, todas as vezes que cair. Acreditar que a toda hora podem acontecer coisas boas e mudar o rumo da sua vida.
Você precisa ter sonhos grandes e pequenos. Os pequenos, são a felicidade mais rápida, os grandes, lhe darão força para suportar o fracasso dos sonhos pequenos.
Você tem que regar os teus sonhos todos os dias, assim como se rega uma planta para que cresça...
Você precisa dizer sempre a você mesmo: vou conseguir, vou superar, vou chegar no meu sonho!
Fazendo isso, você vai estar cultivando sua luz, a luz de sempre ter esperanças, que nunca podem  se apagar, pois ela é a imagem que você pode passar para as outras   pessoas, e através dessa luz que todos vão lhe admirar, acreditar em você e te seguir.
Mire-se na Lua, pois se você não puder atingi-la, com certeza estará entre as estrelas.

Algumas pessoas têm amor por você

"Algumas pessoas têm amor por você, outras têm raiva.
O que sentem nem sempre depende de seu comportamento.
As reações delas às vezes são justas, outras vezes são injustas.
Dê sem contabilizar.
E esteja atento às necessidades delas."

"Em caso de problema, não fique passivo, procure uma solução.
Se a solução existe, você vai achá-la.
Então, por que se inquietar?
Em caso contrário é também inútil ter medo,
pois o medo e a inquietação só farão
reforçar os tormentos e a aflição."

"Quando surge um problema,você tem duas alternativas:
ou fica se lamentando,ou procura uma solução.
Nunca devemos esmorecer diante das dificuldades.
Os fracos se intimidam.
Os fortes abrem as portas e acendem as luzes."

"Para estabelecer a paz no exterior de si mesmo e poder agir sobre
o mundo é necessário, em primeiro lugar, agir internamente,
estabelecendo dentro de si a paz"

"Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito.
Um se chama ontem e o outro se chama amanhã,portanto,
hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.".


"Um relacionamento duradouro de casal se constrói sobre o senso de responsabilidade e sobre o desejo de engajamento a longo prazo."

A criança em mim...

A criança em mim às vezes grita para sair pra fora...
Outras vezes ela me pede pra ficar escondida bem no cantinho do meu coração onde poucos tiveram o privilégio de chegar e conhecer!
Hoje tudo o que gostaria que acontecesse era que essa criança em mim saisse pra fora com todas as forças que ha em meu coração...
Porque nada melhor do que ser criança e não ter que se preoculpar com nada, nem ninguém...
Quando criança as coisas parecem tudo mais faceis e sem complicações...
Criança não precisa entender das coisas que acontecem no mundo ou pelo menos no mundo que se tem ao seu redor, basta apenas ser amada e compreendida.
Tudo que uma criança quer é o carinho de seus pais e familiares, quer apenas a sua atenção e que estejam sempre ali presentes no momento em que precisarem!
Mas como não posso voltar no tempo e voltar a ser aquela menininha meiga da mamãe e do papai, vou vivendo minha vida de uma forma totalmente complicada e cheia de ilusões, aquela criança está adormecida em mim. Às vezes quando ela acorda tenho vontade de não deixa-la mais dormir e ser apenas uma garotinha fragil e indefesa que só o papai e a mamãe podem ajudar...
Como queria não ter que me preoculpar com mais nada e não ter que sofrer por nada nem ningém!
Hoje sou uma mulher cheia de medos e dúvidas e incertezas, que leva sua vida no seu mundinho cheio de medos e traumas dentro dela e nada nem ninguém consegue tirar isso dela...
Sou uma mulher que no fundo só que amar e ser amada...
Sei que cedo ou tarde conseguirei concretizar esse meu sonho e realmente serei feliz.


HOMEM PERFEITO

Após ler atentamente a crônica Homem Perfeito, tão bem escrita pelo Arnaldo Jabor, o que posso dizer é que tudo que escreveu a respeito do homem é a mais pura realidade. Não há como negar. Aliás, ninguém melhor para falar do universo masculino que o próprio homem. Ele o fez sabiamente e merece aplausos por isso.

No entanto, devo alertá-lo que como a maioria dos machos da espécie homo sapiens o ilustre colega não se atualizou quanto ao universo feminino e por esse motivo comparou os sexos em épocas diferentes. (Vale lembrar que o homem é o mesmo desde a Idade da Pedra, mas a mulher não).

O homem é assim mesmo, ele trai por questão hormonal, etc, etc. Sempre foi assim. Nada mudou. Isso é fato. E contra fatos não há argumentos. Já a mulher, é bom lembrar que não traía (observe que a fidelidade da mulher foi colocada aqui no tempo passado, não traía), hoje trai. E faz isso porque sabe, porque adquiriu talento para o 'negócio'.

Quando ele descobre, coisa rara de acontecer já que se garante demais a ponto de não perceber que outros homens desejam a sua mulher, (inclusive seus amigos) o até então machão, pegador, garanhão se desespera, quer matar, quer morrer, ou enche a cara e vai chorar. Chega a ser até engraçado, para não dizer patético, a fragilidade repentina do sujeito que de uma hora para outra descobre que a família era a coisa mais valiosa que ele tinha na vida, mesmo que saia por aí dizendo que a mulher não vale nada, ou que corra para os braços de uma das 'piriguetes' com que se deita de vez em quando. Nada disso vai diminuir sua dor. Sabe porquê? Por que dor de corno ainda é a maior dor que existe. Ela fere o homem de um jeito que ele nunca esquece. Desestrutura o cara por inteiro. Deixa-o literalmente fragmentado. Quer um exemplo disso? Vamos lá: sabe aqueles amigos com quem ele conseguia transformar tudo em piada (inclusive a sua cara de brava quando ele chegava em casa lá pelas tantas da madrugada)? Esqueça! Ele vai passar bem longe dos tais para não se tornar a piada da vez. É verdade, tudo que ele quer é cavar um buraco e se jogar dentro.

E a piriguete que ele achava o maior barato? Transa com ela para aliviar a 'tensão' e depois tem vontade de derrubá-la da cama. Faz qualquer coisa para ela nem abrir a boca, pois até a voz da coitada passa a incomodá-lo.

Mulher não. Mulher quando é traída supera bem melhor. Talvez porque homem não seja mesmo a coisa mais importante da sua vida. E até aqui eu comparei homem e mulher sem levar em conta a mulher do século XXI. Homem tanto faz, até porque continuam no tempo das cavernas, os pobrezinhos. Mulher não. Mulher se atualiza no tempo e no espaço. Paga caro por isso, é verdade. Mas se não consegue virar o jogo, alcança pelo menos o empate técnico.

Prova disso é que o homem ainda pensa que fantasias sexuais só podem ser realizadas com amantes ou prostitutas, jamais com a esposa ou namorada. Mulher quando quer realizá-las envolve seu parceiro e se diverte. Primeiro ela abre espaço para outra mulher em sua cama e deixa que ele se sinta o tal. Depois, com jeitinho ela o convence a trazer outro cara e solta a franga mostrando que ele não é o único capaz de satisfazê-la.

E na hora de comentar com os amigos ele até diz que transou com a esposa e outra mulher ao mesmo tempo, mas nem sob tortura ele é capaz de comentar o quanto sua companheira gozou com outro, alí, sob seu bigode.

Enfim, mulher trai quando leva a vida do jeito que quer e gosta, não quando tem motivo. Essa coisa de querer dizer que a traição feminina dá-se por insatisfação na relação é desculpa de homem que quer se manter no centro das atenções. Homem trai por instinto mesmo, por ser incapaz de ter domínio sobre os seus próprios desejos. Nada mais. Mulher é naturalmente dotada de inteligência. Homem ou é 'bem dotado' ou não é nada. Inteligência ele não tem em nenhuma de suas cabeças. E ponto final.

Saudade

Sabe, quando o coração fica apertado e a boca seca? Quando o sábado passa em um ritmo lento e a vontade de ficar o dia inteiro na cama motiva a tomar um banho bem quentinho? Quando o corpo não obedece ao comando do cérebro e aquela lágrima que esta presa no cantinho do olho insiste em cair ao som daquela música inesquecível? Pois é... Alguns chamariam isso de “um dia ruim” ou até mesmo de “início de depressão”, mas para mim esses sinais são característicos de um sentimento que não existe em todas as línguas, mas habita o coração de todos os povos independente de língua, raça e religião; isso tudo são sintomas de saudade.
Certa vez um professor amigo me disse que a palavra que ele mais gostava era saudade. Confesso que no momento não compreende, pois com tantas palavras mais bonitas e sonoras, saudade soou como a “prima pobre” de amizade, fraternidade, amor, coragem, liberdade e tantas outras. Percebendo meu ar de desdém ele me disse pausadamente, enquanto colocava uns objetos dentro de um saquinho transparente com estrelinhas azuis: saudade sim, pois quando sentimos saudade de alguma coisa, pessoa ou situação é sinal de que foi bom e valeu tanto a pena que se pudéssemos faríamos tudo novamente. Esse momento ficou registrado na minha memória e toda vez que sinto saudade, seja do que for, lembro desse dia e de todos os detalhes que fazem essa lembrança ser tão viva e presente na minha vida.
Saudade é um sentimento bom e ruim ao mesmo tempo, pois mesmo sendo a prova de que vivemos momentos maravilhosos ela também deixa claro que essas situações fazem parte do passado e que só nos resta lembrar. Posso dar milhares de beijos, mas nenhum vai ter o mesmo sabor e o mesmo sentimento do primeiro; posso fazer várias viagens de avião, mas nenhuma vai me fazer sentir a mesa sensação de liberdade e de possuir azas como a primeira; posso amar vários homens, mas nenhum amor vai ser tão inocente, puro e intenso como o primeiro. Cada situação, cada conquista, cada dor, cada dia e cada minuto são únicos e a saudade é o nosso termômetro, é a forma que o coração tem de fazer um balanço geral e perceber se os caminhos percorridos valeram mesmo à pena.
Hoje a minha saudade começou do nada, veio e me fez buscar no meio dos meus arquivos uma música que diz muito sobre os caminhos que trilhei até esse momento. Resiste no início, não queria fazer o que sempre faço quando escuto essa canção, mas a melodia foi invadindo os espaços da minha alma e preenchendo os meus “sintomas de saudade” de tal modo que uma lágrima brotou no meu olhar e fez um caminho solitário até o meu coração onde esperou todas as outras que a seguiram. Que saudade de um, certo alguém que chegou sem saber e fez o amor florescer no meu coração como o mandacaru no meio do sertão; que saudade de mim e da minha capacidade de dar um sentimento tão puro e sincero esperando apenas um olhar que confirma-se um querer mutuo; que vontade de recuperar o tempo perdido e dedicado a um amor que não saiu dos meus sonhos e não floresceu em outros sertões.
Saudade é assim mesmo, vem sem avisar e nos faz reviver momentos únicos e apesar de tudo maravilhosos. O que destrói é a vontade de voltar no tempo e chegar no minuto exato onde o silêncio seria transformado em sim e a tristeza seria transformada em vida, luz e canto. Saudade é um sentimento que não se explica apenas sentimos. Pensar que é bom sentir essa dorzinha aguda que fere e faz chorar (mesmo sem as lágrimas) é reconhecer que apesar de todos os caminhos traçados na trilha da solidão ou não, a saudade só se manifesta em corações que tem boas histórias para contar e recordar.

SONHAR É PRECISO

Estive pensando, nos meus sonhos:
De ser bailarina!
Mas nunca pude frequentar uma escola de balé.

De ser freira...
Mas graças a Deus, Ele mesmo viu que pra tal eu não daria!
Casei com um príncipe, mesmo não sendo “encantado”. Mas, era o homem mais bonito, mais inteligente que conheci e o melhor marido que alguém possa merecer.
Passei a lua de mel em Petrópolis, em pleno verão, quando as hortênsias enfeitavam as estradas e os campos e a brisa fresca das tardes ainda era possível de se sentir nos passeios de “charret” que completavam o nosso romantismo.
Tive filhos, senti o “agre-doce” das dores do parto e multipliquei-me por três mães diferentes: a do corpo, a do coração e a mãe da alma. Assim sinto minha maternidade até hoje, o que prova que este é o sonho que mais se realiza, dia a dia.

De viajar, conhecer a Europa, fazer o caminho de Santiago, ir a Veneza...
Mas não foi possível.
Por isso, quando vi que estavam tão distantes de mim, aparei as asas dos sonhos e voei para mais perto:
Sonhei em passar um carnaval em Olinda, outro no Rio, desfilando na Portela.
Mesmo esses, não se realizaram.
Agora, acho impossível desfilar em qualquer escola, ainda que só me reste a ala das baianas, nessa altura da cronologia.
Quanto a Olinda, não tenho mais pernas pra subir e descer ladeiras atrás do Galo da Madrugada. Talvez eu consiga conhecê-la em qualquer outra época do ano, numa dessas excursões para grupos da terceira idade.
Mas, valeu à pena desejar, porque afinal de contas, outros sonhos meus foram realizados:
Saí mascarada atrás do trio elétrico de Dodô e Osmar, saí no “Paroano sai milhó” em muitos carnavais , dancei marchinhas pelas ruas do Pelô atrás das bandas, fui ver a saída do Ilê e do Olodum.

Sonhei em ser atriz!
Mas terminei sendo professora!
E fiz da sala de aula meu palco, vivendo muitas e boas emoções, que se repetem até hoje, quando sou reconhecida por ex- alunos e ex- alunas de vinte , trinta anos atrás, o que me deixa feliz, porque assim, sinto que fiz diferença positiva na vida de alguém.

Quando me casei, um pôster com a inscrição: ”Sonhos, acredite neles”, adquirido não sei onde, ou presenteado não sei por quem, emoldurava a cabeceira de nossa cama de recém casados.
Acreditei no seu conteúdo, movida pelo romantismo e passamos a sonhar a dois.
A vida nos conduziu por caminhos que nunca imaginamos trilhar. Os passos que demos sim, estes foram cuidadosamente dimensionados, seguros e direcionados para a felicidade. Dessa forma, os percalços foram driblados, os obstáculos transpostos e prosseguimos em comunhão de almas até quando o Universo definiu a finitude da nossa dualidade.

Assim, os sonhos sonhados juntos, para não virarem pesadelos, passaram a ser cultivados nas noites em claro, que aprendi a enfrentar sozinha, vigiando o sono inquieto de nossa filha ou aguardando a chegada dos nossos filhos, quando aprendizes da liberdade.

Em noites de vigília, portanto, fui encontrando o que restou das lembranças da minha juventude, fui juntando pedaços dos sonhos perdidos na minha trajetória, recordações da adolescência, cartas de amor, maternas e tantas outras, crônicas diversas, anseios e registros de momentos congelados em fotografias.

As palavras surgiram... Inesgotáveis!
Precisei organizá-las, transformando-as em frases, em textos, reescrevendo fatos, mudando o curso de estórias, relatando novas experiências, explorando novos sentimentos, descobrindo novos caminhos.

E ao percorrer esses novos caminhos concretizo os sonhos: sou ao mesmo tempo narradora, expectadora e protagonista.Transformo-me em restauradora de recordações, em tecelã de esperanças, quando busco no fundo do baú, os fios da saudade e reconstruo os fatos escrevendo contos, crônicas e poemas.
Sinto-me gestante de cada personagem que surge nas histórias; e que se materializa exigindo de mim uma responsabilidade tão grande, quanto trazer ao mundo, um novo filho.

E a vida se refaz!
E os sonhos se renovam!
Preciso deles para não sucumbir na solidão...
Sonhar, é preciso!

Cada momento é importante

Não deixamos apenas as nossas pegadas pelo Caminho
Marcas de nossos passos pelo chão
Deixamos também os fios de nossos cabelos pratearem
Seriam símbolos de nossa sabedoria?

Hoje eu estou em pé
Mas eu já estive prostrado
Ajoelhado eu permaneci calado
Mas por dentro eu gritava alucinado
Alegre eu convivi com a felicidade
Mas amordaçado o meu coração sussurrava a falta de amores
Triste eu julguei o mundo todo insensível às minhas dores
Mas entes queridos transformaram a minha solidão em um pássaro alado.

Magro, eu me alimentava de água com comida escassa e abundância de pensamentos.
Meus sentimentos abastados alimentavam a minha alma, mas eu temia a fome.
Se comida faltava, com míseros centavos pipoca eu comprava e na panela me fartava.
E a semana assim se passava rápida feita pela leveza do ser rico e ser pobre ao mesmo tempo.

Descobri que existe paz no sereno da madrugada
Que o vento nordeste traz alivio pelo frescor nas tardes quentes de verão
Que as ondas se tornam belas e parecem por momentos nas alturas, feitas de cristais
Mas beijam as areias das praias e voltam ao mar encolhidas sem coroa alguma

Que nenhum momento é mais marcante em nossas vidas
Do que o abraço e o beijo de um filho ao pai, a mãe e aos seus avós.
Um simples momento que passa despercebido se transformará com o passar dos anos
Em uma aquarela de cores vivas
Uma moldura feita de amor.

Não se vive por viver
Não se ama por amar
Não se beija por beijar
Não se abraça por abraçar

Fotos destes momentos ficam em nossos pensamentos
Marcas deixadas em nosso coração para sempre.

Para ficar em pé você deve dividir a suas dores, mostrar os seus amores.
Distribuir os seus sorrisos, mostrar com sensibilidade a sua felicidade.

Cada momento é importante.
Preste atenção ao choro de quem vem e ao choro de quem vai
E melhor ainda preste atenção para quem está chorando enquanto caminha ao seu lado e você mudando de assunto a todo momento para viver somente o seu mundo...de egoísmo e vaidades.


A MAGIA DO SILÊNCIO

O silêncio é um momento mágico. É a hora onde você pode ter um encontro com você mesmo, para por as coisas devidas nos seus devidos lugares.
É quando você tira um tempo para pensar no que vai dizer para a pessoa amada, e no fundo se apavora ao descobrir que não sabe como vai fazer.
É quando você pensa nos erros que cometeu, como fazer para corrigi-los e o que pode aprender com eles.
É o momento ideal para refletir sobre as coisas que disse impensadamente e que acabou magoando alguém.
É a hora que você pensa na resposta que vai dar ao patrão quando este não lhe dá o aumento de salário reivindicado.
É quando você pensa no que poderia ter respondido quando lhe ofenderam e descobre que a melhor coisa que fez no momento, foi ter ficado em silêncio.
É o momento de pensar no que vai falar ao amigo quando este está precisando de uma palavra amiga.
É quando começa a imaginar o que vai fazer nas férias que se aproxima quando prometeu à família que agora nada vai atrapalhar os planos.
É quando se recorda dos momentos alegres que passou junto aos amigos em uma festa de confraternização, com a brincadeira de amigo secreto.
É o momento para pensar em Deus e agradecer por tudo que lhe tem acontecido
.

NINGUÉM MAIS NAMORA AS DEUSAS

MULHERES

   O
utro dia, a Adriane Galisteu deu uma entrevista dizendo que os homens não querem namorar as mulheres que são símbolos sexuais. É isto mesmo.
Quem ousa namorar a Feiticeira ou a Tiazinha?
As mulheres não são mais para amar; nem para casar. São para "ver".
Que nos prometem elas, com suas formas perfeitas por anabolizantes e silicones?
Prometem-nos um prazer impossível, um orgasmo metafísico, para o qual os homens não estão preparados...
As mulheres dançam frenéticas na TV, com bundas cada vez mais malhadas, com seios imensos, girando em cima de garrafas, enquanto os pênis-espectadores se sentem  apavorados e murchos diante de tanta gostosura.
Os machos estão com medo das "mulheres-liquidificador".
O modelo da mulher de hoje, que nossas filhas ou irmãs almejam ser (meu Deus!),  é a prostituta transcendental, a mulher-robô, a "Valentina", a "Barbarela", a máquina-de-prazer  sem alma, turbinas de amor com um hiperatômico tesão.
Que parceiros estão sendo criados para estas pós-mulheres? Não os há.
Os "malhados", os "turbinados" geralmente são bofes-gay, filhos do mesmo narcisismo de mercado que as criou.
Ou, então, reprodutores como o Zafir, para o Robô-Xuxa.
A atual "revolução da vulgaridade", regada a pagode, parece "libertar" as mulheres.
Ilusão à toa.
A "libertação da mulher" numa sociedade escravista como a nossa deu nisso: Superobjetos. Se achando livres, mas aprisionadas numa exterioridade corporal que apenas esconde pobres meninas famintas de amor, carinho e dinheiro.
São escravas aparentemente alforriadas numa grande senzala sem grades.
Mas, diante delas, o homem normal tem medo.
Elas são "areia demais para qualquer caminhãozinho".
Por outro lado, o sistema que as criou enfraquece os homens.
Eles vivem nervosos e fragilizados com seus pintinhos trêmulos, decadentes, a meia-bomba, ejaculando precocemente, puxando sacos, lambendo botas, engolindo sapos, sem o antigo charme "jamesbondiano" dos anos 60.
Não há mais o grande "conquistador".
Temos apenas os "fazendeiros de bundas" como o Huck, enquanto a maioria virou uma multidão de voyeur, babando por deusas impossíveis.
Ah, que saudades dos tempos das bundinhas e peitinhos "normais" e "disponíveis"...
Pois bem, com certeza a televisão tem criado "sonhos de consumo" descritos tão bem pela língua ferrenha do Jabor (eu).
Mas ainda existem mulheres de verdade.
Mulheres que sabem se valorizar e valorizar o que tem "dentro de casa", o seu trabalho.
E, acima de tudo, mulheres com quem se possa discutir um gosto pela música, pela cultura, pela família, sem medo de parecer um "chato" ou um "cara metido a intelectual".
Mulheres que sabem valorizar uma simples atitude, rara nos homens de hoje, como abrir a porta do carro para elas.
Mulheres que adoram receber cartas, bilhetinhos (ou e-mails) românticos!!
Escutar no som do carro, aquela fitinha velha dos Beegees ou um cd do Kenny G (parece meio breguinha)...mas é tão boooom namorar escutando estas musiquinhas tranquilas!!!
Penso que hoje, num encontro de um "Turbinado" com uma "Saradona" o papo deve ser do tipo:
-"meu"... o meu professor falou que posso disputar o Iron Man que vou ganhar fácil!."
-"Ah "meu"..o meu personal Trainner disse que estou com os glúteos bem em forma e que nunca vou precisar de plástica". E a música???
Só se for o "último sucesso (????)" dos Travessos ou "Chama-chuva..." e o "Vai serginho"???...
Mulheres do meu Brasil Varonil!!! Não deixem que criem estereótipos!!
Não comprem o cinto de modelar da Feiticeira. A mulher brasileira é linda por natureza!!
Curta seu corpo de acordo com sua idade, silicone é coisa de americana que não possui a felicidade de ter um corpo esculpido por Deus e bonito por natureza. E se os seus  namorados e maridos pedirem para vocês "malharem" e ficarem iguais à Feiticeira, fiquem... igual a feiticeira dos seriados de Tv:
Façam-os sumirem da sua vida!!!


domingo, 28 de agosto de 2011

Na margem do Rio Pietra eu sentei e chorei

É preciso correr riscos.
Só entendemos direito a um milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça.
Todos os dias Deus no dá - junto com o sol - um momento que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes.
Todos os dias procuramos fingir que não percebemos este momento, que ele não existe,
que hoje é igual a ontem e será igual a amanhã.
Mas, quem presta atenção ao seu dia, descobre o instante mágico.
Ele pode estar escondido na hora em que enfiamos a chave na porta pela manhã,
no instante de silêncio logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais.
Este momento existe - um momento em que toda a força das estrelas passa por nós,
e nos permite fazer milagres.
A felicidade às vezes é uma bênção - mas geralmente é uma conquista.
O instante mágico do dia nos ajuda a mudar, nos faz ir em busca de nossos sonhos.
Vamos sofrer, vamos ter momentos difíceis, vamos enfrentar muitas desilusões - mas tudo é passageiro, e não deixa marcas.
E, no futuro, podemos olhar para trás com orgulho e fé.
Pobre de quem tem medo de correr os riscos.
Porque este talvez não se decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aquele que tem um sonho a seguir.
Mas quando olhar para trás - porque sempre olhamos para trás - vai escutar seu coração dizendo:
"O que fizeste com os milagres que Deus semeou por teus dias?
O que fizeste com os talentos que teu Mestre te confiou?
Enterraste fundo em uma cova, porque tinhas medo de perdê-los.
Então, esta é tua herança: a certeza de que desperdiçaste tua vida".
Pobre de quem escuta estas palavras.
Porque então acreditará em milagres, mas os intantes mágicos da vida já terão passado.

Amor Maduro

O amor maduro não é menor em intensidade.
Ele é apenas quase silencioso. Não é menor em extensão.
É mais definido, colorido e poetizado.
Não carece de demonstrações: presenteia com a verdade do sentimento.
Não precisa de presenças exigidas: amplia-se com as ausências significantes.

O amor maduro somente aceita viver os problemas da felicidade.
Problemas da felicidade são formas trabalhosas de construir o bem e o prazer.
Problemas da infelicidade não interessam ao amor maduro.

O amor maduro cresce na verdade e se esconde a cada auto-ilusão.
Basta-se com o todo do pouco.
Não precisa nem quer nada do muito.
Está relacionado com a vida e a sua incompletude, por isso é pleno em cada ninharia por ele transformada em paraíso.
É feito de compreensão, música e mistério.
É a forma sublime de ser adulto e a forma adulta de ser sublime e criança.
O amor maduro não disputa, não cobra, pouco pergunta, menos quer saber. Teme, sim. Porém, não faz do temor, argumento.
Basta-se com a própria existência.
Alimenta-se do instante presente valorizado e importante porque redentor de todos os equívocos do passado.
O amor maduro é a regeneração de cada erro.
Ele é filho da capacidade de crer e continuar, é o sentimento que se manteve mais forte depois de todas as ameaças, guerras ou inundações existenciais com epidemias de ciúme.

O amor maduro é a valorização do melhor do outro e a relação com a parte salva de cada pessoa.
Ele vive do que não morreu mesmo tendo ficado para depois.
Vive do que fermentou criando dimensões novas para sentimentos antigos, jardins abandonados cheios de sementes.
Ele não pede, tem.
Não reivindica, consegue.
Não persegue, recebe.
Não exige, dá. Não pergunta, adivinha.
Existe, para fazer feliz.
Só teme o que cansa, machuca ou desgasta.


sábado, 27 de agosto de 2011

.....

"Sou pessoa de dentro pra fora. Minha beleza está na minha essência e no meu caráter. Acredito em sonhos, não em utopia. Mas quando sonho, sonho alto. Estou aqui é pra viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente.
Sou isso hoje...
Amanhã, já me reinventei.
Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim.
Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina... E vice-versa. Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar...
Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos. Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa. Sou pessoa de riso fácil...e choro também


Cansei....

Cansei de quem gosta como se gostar fosse mais uma ferramenta de marketing. Gostar aos poucos, gostar analisando, gostar duas vezes por semana, gostar até as duas e dezoito. Cansei de gente que gosta como pensa que é certo gostar. Gostar é essa besta desenfreada mesmo. E não tem pensar. E arrepia o corpo inteiro, mas você não sabe se é defesa para recuar ou atacar. Eu eu gosto de você porque gostar não faz sentido.

Permita-se. Se você acha que no fundo mesmo, apesar de todas essas reuniões e palavras em inglês que só querem dizer que você não sabe o que está falando, o que importa é ter pra quem mostrar que saiu o arco-íris. Permita-se. Porque eu não quero que você tenha essa pressa ao ponto de ajudar com as próprias mãos. Eu quero que você sinta esse prazer que chega aos poucos. E mata tudo que há em volta. E explode os relógios. E chega aos poucos ainda que você ainda não saiba nem quem é pouco e nem quem é lento. Porque você morre. Se você prefere a vida quando se morre um pouco por alguém. permita-se.

Eu não faço a menor idéia de como esperar você me querer. porque se eu esperar, talvez eu não te queira mais.

Eu não queri ir embora e esperar o dia seguinte. porque cansei dessa gente que manda ter mais calma. E me diz que sempre tem outro dia. E me diz que eu não posso esperar nada de ninguém. E me diz que eu preciso de uma camisa de força. Se você puder sofrer comigo a loucura que é estar vivo. se você puder passar a noite em claro comigo de tanta vontade de viver esse dia sem esperar o outro, se você puder esquecer a camisa de força e me enrroscar no seu corpo para que duas forças loucas tragam algum aquilibrio. Se você puder ser alguém de quem se espera algo, afinal, é uma grande mentira viver sozinho, permita-se. Eu só queria alguém pra vencer comigo esses dias terrivelmente chatos.”

Você faz a paz

Procure uma posição confortável, acomode-se.
Fique em silêncio, feche os olhos, concentre-se.
Lentamente, respire fundo.
Relaxe, pense no mundo.
Atinja o nível mais alto do pensamento.
Sinta o que falta aos seres humanos
neste momento.
Analise a situação atual da humanidade.
E em como você pode colaborar,
mesmo com pouca idade.
Imagine um mundo sem ira, sem ódio,
sem inveja e sem maldade.
Só a honra de cada cidadão
cumprindo seus direitos e deveres com serenidade.
Pense na paz em plenitude.
E em como alcançá-la, com certas atitudes.
É tão fácil e seria maravilhoso.
Qualquer um pode colaborar
com um comportamento honroso.
Torne isso uma realidade.
Então verá que só assim
a vida tem sentido de verdade.
Cumpra pelo menos você a sua parte
e proporcione paz.
E verá a felicidade que isso traz.


CONFISSÕES NO ESPAÇO VAZIO

Era uma vez
Uma menina-mulher independente que percebeu
Que em sua vida faltava alguma coisa.
Ela estava cansada de beijos sem sentimento, carícias sem motivo
Sexo sem compromisso...
Ela sabia que estava sofrendo por isso
Mas esperava insistentemente que o príncipe encantado viesse salvá-la.
Um dia perguntei a ela
"Como é esse seu príncipe encantado?"
Eis o que ela me respondeu:
"Ele não deve existir....
ou, se existir, deve estar muito longe de mim...
Imagino que seja um homem maduro, inteligente, divertido
Que saiba me tratar como eu mereço
Que me sacie com carinhos, beijos e muito amor
Que acompanhe meu ritmo noite e dia
Que entenda de poesia e possa fazer nas horas mais inusitadas
E que seja ousado... "
Diante dessa confissão, me questionei
Se a princesa estaria sendo exigente demais
Ou se realmente esse príncipe existe....
Ela continua procurando!


Ei .... Sorria!!!!!!

Ei! Sorria... Mas não se esconda atrás desse sorriso...
Mostre aquilo que você é, sem medo.
Existem pessoas que sonham com o seu sorriso, assim como eu.
Viva! Tente! A vida não passa de uma tentativa.
Ei! Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos.
Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome!
Esqueça a bomba, mas antes, faça algo para combatê-la, mesmo que se sinta incapaz.
Procure o que há de bom em tudo e em todos.
Não faça dos defeitos uma distancia, e sim, uma aproximação.
Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver.
Entenda! Entenda as pessoas que pensam diferente de você, não as reprove.
Ei! Olhe... Olhe a sua volta, quantos amigos...
Você já tornou alguém feliz hoje?
Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo?
Ei! Não corra. Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você.
Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga.
Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela.
Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você.
Ei! Ouça... Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante.
Suba... faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo,
Mas não esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida.
Ei! Descubra! Descubra aquilo que há de bom dentro de você.
Procure acima de tudo ser gente, eu também vou tentar.
Ei! Você... não vá embora.
Eu preciso dizer-lhe que... te adoro, simplesmente porque você existe.


sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Tempo Certo

De uma coisa podemos ter certeza:
de nada adianta querer apressar as coisas;
tudo vem ao seu tempo,
dentro do prazo que lhe foi previsto.
Mas a natureza humana não é muito paciente.
Temos pressa em tudo e aí acontecem
os atropelos do destino,
aquela situação que você mesmo provoca,
por pura ansiedade de não aguardar o tempo certo. Mas alguém poderia dizer:
Qual é esse tempo certo?

Bom, basta observar os sinais.
Quando alguma coisa está para acontecer
ou chegar até sua vida,
pequenas manifestações do cotidiano
enviarão sinais indicando o caminho certo.
Pode ser a palavra de um amigo,
um texto lido, uma observação qualquer.
Mas, com certeza, o sincronismo se encarregará
de colocar você no lugar certo,
na hora certa, no momento certo,
diante da situação ou da pessoa certa.

Basta você acreditar que nada acontece por acaso. Talvez seja por isso que você esteja
agora lendo estas linhas.
Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais
já estão por perto e você nem os notou ainda.
Lembre-se, que o universo sempre
conspira a seu favor quando você possui um
objetivo claro e uma disponibilidade de crescimento.

É preciso saber....

Sempre é preciso saber
quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela
mais do que o tempo necessário,
perdemos a alegria
e o sentido
das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos,
fechando portas,
terminando capítulos,
não importa o nome que damos.
O que importa é deixar no passado
os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho?
Terminou uma relação?
Deixou a casa dos pais?
Partiu para viver em outro país?
A amizade tão longamente cultivada
desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo
se perguntando por que isso aconteceu.
Pode dizer para si mesmo
que não dará mais um passo
enquanto não entender as razões
que levaram certas coisas,
que eram tão importantes e sólidas em sua vida,
serem subitamente transformadas em pó.

Mas tal atitude
será um desgaste imenso para todos:
seus pais, seu marido ou sua esposa,
seus amigos, seus filhos, sua irmã...
Todos estarão encerrando capítulos,
virando a folha,
seguindo adiante,
e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo
no presente e no passado,
nem mesmo quando tentamos
entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará:
não podemos ser eternamente meninos,
adolescentes tardios,
filhos que se sentem culpados
ou rancorosos com os pais,
amantes que revivem
noite e dia
uma ligação com quem já foi embora
e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam
e o melhor que fazemos
é deixar que elas realmente possam ir embora.

Por isso é tão importante
(por mais doloroso que seja!)
destruir recordações,
mudar de casa,
dar muitas coisas para orfanatos,
vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível
é uma manifestação do mundo invisível,
do que está acontecendo em nosso coração
e o desfazer-se de certas lembranças
significa também abrir espaço
para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora.
Soltar.
Desprender-se.
Ninguém está jogando
nesta vida com cartas marcadas.
Portanto, às vezes ganhamos e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo,
não espere que reconheçam seu esforço,
que descubram seu gênio,
que entendam seu amor.

Pare de ligar sua televisão emocional
e assistir sempre ao mesmo programa,
que mostra como você sofreu com determinada perda:
isso o estará apenas envenenando
e nada mais.

Não há nada mais perigoso
que rompimentos amorosos que não são aceitos,
promessas de emprego
que não têm data marcada para começar,
decisões que sempre são adiadas
em nome do "momento ideal".

Antes de começar um capítulo novo
é preciso terminar o antigo:
diga a si mesmo que o que passou,
jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época
em que podia viver sem aquilo,
sem aquela pessoa...
Nada é insubstituível,
um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio,
pode mesmo ser difícil,
mas é muito importante.

Encerrando ciclos.
Não por causa do orgulho,
por incapacidade, ou por soberba.
Mas porque simplesmente
aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta,
mude o disco,
limpe a casa,
sacuda a poeira.

Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Eu aprendi..

…que eu não posso exigir o amor de ninguém. Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência para que a vida faça o resto;
…que não importa o quanto certas coisas são importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e jamais conseguirei convencê-las;
…que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.
Eu aprendi…
…que posso usar meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando;
…que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida;
…que por mais que você corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo que cortamos de nosso caminho.
Eu aprendi…
…que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser e devo ter paciência;
…que posso ir além dos limites que eu próprio me coloquei;
…que eu preciso escolher entre controlar meu pensamento ou ser controlado por ele.
Eu aprendi…
…que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem;
…que perdoar exige muita prática;
…que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso.
Eu aprendi…
…que nos momentos mais difíceis, a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar minha vida;

Eu aprendi…

…que eu posso ficar furioso, tendo o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel.
Eu aprendi…
…que a palavra “AMOR” perde o sentido, quando usada sem critério;
…que certas pessoas vão embora de qualquer maneira;
…que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas que eu acredito.
Se aprendessemos algumas coisas, tudo seria mais fácil…certas coisas realmente eu já aprendi…outras…ainda não…estou tentando…o que vale é a intenção...

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Só De Sacanagem

Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Tudo isso que está aí no ar,
Malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro,
Do meu dinheiro, do nosso dinheiro
Que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós,
Para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais,
Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade
E eu não posso mais.
Qquantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis
Existem para aperfeiçoar o aprendiz,
Mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros
Venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração tá no escuro,
A luz é simples,
Regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó
E os justos que os precederam:
"Não roubarás",
"Devolva o lápis do coleguinha",
"Esse apontador não é seu, minha filha".
Pois bem, se mexeram comigo,
Com a velha e fiel fé do meu povo sofrido,
Então agora eu vou sacanear:
Mais honesta ainda eu vou ficar.
Só de sacanagem!
Dirão:
“Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba”
E eu vou dizer:
Não importa, será esse o meu carnaval,
Vou confiar mais e outra vez.
Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos,
Vamos pagar limpo a quem a gente deve
E receber limpo do nosso freguês.
Com o tempo a gente consegue ser livre,
Ético e o escambau.
Dirão:
"É inútil, todo o mundo aqui é corrupto,
Desde o primeiro homem que veio de Portugal”.
Eu direi:
Não admito, minha esperança é imortal.
Eu repito, ouviram?
IMORTAL!
Sei que não dá para mudar o começo
Mas, se a gente quiser,
Vai dar para mudar o final!

domingo, 7 de agosto de 2011

As Vezes.....

Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Às vezes nos falta esperança. Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.
Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar...é nossa razão de existir.
Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração
pela falta de uma única pessoa.

Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver,
até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um pôr do sol,
a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto.
É a força da natureza nos chamando para a vida.

Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança,
te traíram sem qualquer piedade.
Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo.
Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo, e por isso nunca fizeram amor,
apenas transaram...

Descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez.
E agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá
ajudá-las a reconstruir um coração quebrado.
Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são fatores
importantes: a relação com a família, as condições econômicas nas quais se desenvolveu.
(dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um caráter), os relacionamentos anteriores
e as razões do rompimento, seus sonhos, ideais e objetivos.

Não deixe de acreditar no amor. Mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém
que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá.
Manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam. E certifique-se de que
quando estão juntos, aquele abraço vale mais que qualquer palavra.
Esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa
te deixar, então nada irá lhe restar.

Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento,
manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco.
Pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda
mais intenso, do que teria sido no passado.

Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário.
Existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.
A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna.
A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não
esteja apenas de passagem...

Loucas......

Pra começo de conversa, não acredito que haja uma única mulher no mundo que seja santa.
Os marmanjos devem estar de cabelo em pé: como assim, e a minha mãe?
Nem ela, caríssimos, nem ela.
Existe mulher cansada, que é outra coisa. Ela deu tanto azar em suas relações, que desanimou.

Ela ficou tão sem dinheiro de uns tempos pra cá, que deixou de ter
vaidade. Ela perdeu tanto a fé em dias melhores, que passou a se contentar com dias medíocres.

Guardou sua loucura em alguma gaveta e nem lembra mais.
Santa mesmo, só Nossa Senhora, mas, cá entre nós, não é uma doideira o modo como ela engravidou? (Não se escandalize, não me mande e-mails, estou brin-can-do.)
Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e
dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar "the big one", aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na
mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir, às vezes, que somos santas,
ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo para o alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma
cafetina, sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.
Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três destas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica,
maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascinante.
Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham.

 Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Ultima Gota. Só as
cansadas
é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora.

E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos
prazeres da inquietude, que não deseje mais nada?

Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra.

Mulher Boazinha

Qual o elogio que uma mulher adora receber?

Bom, se você está com tempo, pode-se listar aqui uns setecentos:
mulher adora que verbalizem seus atributos, sejam eles físicos ou morais.
Diga que ela é uma mulher inteligente, e ela irá com a sua cara.
Diga que ela tem um ótimo caráter e um corpo que é uma provocação,
e ela decorará o seu número.
Fale do seu olhar, da sua pele, do seu sorriso, da sua presença de espírito,
da sua aura de mistério, de como ela tem classe:
ela achará você muito observador e lhe dará uma cópia da chave de casa.
Mas não pense que o jogo está ganho: manter o cargo vai depender da sua
perspicácia para encontrar novas qualidades nessa mulher poderosa, absoluta.
Diga que ela cozinha melhor que a sua mãe,
que ela tem uma voz que faz você pensar obscenidades,
que ela é um avião no mundo dos negócios.
Fale sobre sua competência, seu senso de oportunidade,
seu bom gosto musical.
Agora quer ver o mundo cair?
Diga que ela é muito boazinha.
Descreva aí uma mulher boazinha.
Voz fina, roupas pastel, calçados rente ao chão.
Aceita encomendas de doces, contribui para a igreja,
cuida dos sobrinhos nos finais de semana.
Disponível, serena, previsível, nunca foi vista negando um favor.
Nunca teve um chilique.
Nunca colocou os pés num show de rock.
É queridinha.
Pequeninha.
Educadinha.
Enfim, uma mulher boazinha.
Fomos boazinhas por séculos.
Engolíamos tudo e fingíamos não ver nada, ceguinhas.
Vivíamos no nosso mundinho, rodeadas de panelinhas e nenezinhos.
A vida feminina era esse frege: bordados, paredes brancas,
crucifixo em cima da cama, tudo certinho.
Passamos um tempão assim, comportadinhas, enquanto íamos alimentando um
desejo incontrolável de virar a mesa.
Quietinhas, mas inquietas.
Até que chegou o dia em que deixamos de ser as coitadinhas.
Ninguém mais fala em namoradinhas do Brasil: somos atrizes,
estrelas, profissionais.
Adolescentes não são mais brotinhos: são garotas da geração teen.
Ser chamada de patricinha é ofensa mortal.
Pitchulinha é coisa de retardada.
Quem gosta de diminutivos, definha.
Ser boazinha não tem nada a ver com ser generosa.
Ser boa é bom, ser boazinha é péssimo.
As boazinhas não têm defeitos.
Não têm atitude.
Conformam-se com a coadjuvância.
PH neutro.
Ser chamada de boazinha, mesmo com a melhor das intenções,
é o pior dos desaforos.
Mulheres bacanas, complicadas, batalhadoras, persistentes, ciumentas,
apressadas, é isso que somos hoje.
Merecemos adjetivos velozes, produtivos, enigmáticos.
As “inhas” não moram mais aqui.
Foram para o espaço, sozinhas.

Fecha e deixa solto...

Se você não aguenta mais ouvir aquela mesma ladainha de sempre seja do/da teu/tua namorado(a), marido (esposa), rolo, ficante ou caso, aquele questionamento irritante e initerrupto do tipo:


- "Onde foi?"
- "Onde estava?"
- "Por que não ligou?"
- "Não me disse que foi... "
- "De quem é esse número?"
- "Liguei e você não me atendeu... "
- "Eu vi que você olhou para ela (e)"
- "A que horas você chegou?"

QUER UMA SOLUÇÃO? Os apaixonados precisam aprender a lidar como os flanelinhas.
Como???
O flanelinha te orienta a estacionar num lugar e diz: FECHA E DEIXA SOLTO!

É simples assim... Esse é o segredo para fazer teu relacionamento durar mais que três semanas.
FECHA (sim, um relacionamento fechado, fiel e bacana), mas DEIXA SOLTO.

Possibilite uma manobra ou encaixe, mas nunca puxe o freio de mão. A saída é flexibilizar!!!